000000
1 2 3 4 5 6

ENTREVISTA NA VILA

Entrevista com Gustavo Berriel


 


Hoje eu converso com Gustavo Vanzillotta Berriel nascido no Rio de Janeiro no dia 15 de Junho de 1983.È ele quem da voz aos personagens Jaiminho e Nhonho

                                                



VINICIUS-CH: Conte um pouco de você para nós.
GUSTAVO BERRIEL: Bom, é que... eu quero evitar a fadiga...


VINICIUS-CH: Você sempre quis ser ator?Quando começou a dublar?E por que nunca parou?
GUSTAVO BERRIEL: Não sei, mas faço arte desde criança. Eu já pintava o sete... e apanhava RS.
Comecei a dublar em 2005. Nunca parei porque amo o meu trabalho.


VINICIUS-CH: Quais outros personagens você fez fora o Nhonho e Jaiminho foram amis marcantes para você?
GUSTAVO BERRIEL: Fiz o protagonista Michael da série A NOVA SUPERMÁQUINA (Record/Warner)

VINICIUS-CH: Qual personagem CH que você mais gosta de dublar?
GUSTAVO BERRIEL: O Jaiminho é especial, eu me divirto mais fazendo a voz dele.



VINICIUS-CH: Gosto muito dessa profissão de dublador. Gostaria de ser um dublador  ainda mais no meio CH o que você acha desse trabalho?
GUSTAVO BERRIEL: É um trabalho incrível de interpretação. Mágico. E de grande responsabilidade. Você não apenas “traduz” um personagem, você transforma a língua dele. Para isso você tem que ser um bom intérprete, para reproduzir da melhor forma o que aquele ator/personagem está fazendo. A dublagem é apaixonante. Gosto especialmente das versões brasileiras de animações.


VINICIUS-CH: Conte um pouco sobre essa paixão que você tem por CH.
GUSTAVO BERRIEL: É uma paixão que tenho desde criança; cresci vendo Chaves, bem, você deve saber como é isso... Chaves e Chapolin são as melhores séries do mundo. E todas as outras criações de Chespirito, da literatura aos filmes, também me fascinam.


VINICIUS-CH: Como você descreve o tratamento do SBT com Chaves e Chapolin?
GUSTAVO BERRIEL: Tenho muitas críticas e também elogios ao SBT com relação à transmissão das séries. Houve muitas falhas, mas também precisamos saber reconhecer os acertos ou as tentativas. Não acho que tudo é culpa do SBT como muitos dizem, algumas coisas são culpa da própria Televisa. Cresci vendo Chaves e Chapolin no SBT e já vi épocas de grande respeito e organização com relação às séries. Tudo depende de quem está trabalhando lá agora... E isso sempre pode mudar para melhor. Os cortes nos episódios, por exemplo, são vergonhosos e intoleráveis. Ou passa completinho ou é melhor não passar. Sempre lutei pela volta dos episódios perdidos e é com muito orgulho que vejo o movimento dar certo, tantos anos depois. Creio que o Fã-Clube Chespirito Brasil, o Fórum Chaves e muitos outros sites são responsáveis por grande parte das boas notícias para os fãs. Eu me orgulho também de ter feito parte de tudo isso. E continuo sendo um membro do fã-clube.


VINICIUS-CH: Você já gostava de Chaves e Chapolin antes de dublar no meio CH ? Ou descobriu quando entrou para o dublar os personagens?
GUSTAVO BERRIEL: Sempre gostei, desde molequinho, sou um fã como qualquer outro... Dublar só me faz gostar ainda mais.


VINICIUS-CH: Qual e a reação das pessoas quando descobre que você e o famoso dublador de Nhonho e Jaiminho?
GUSTAVO BERRIEL: É muito louco!!! É mais incrível do que eu mesmo poderia imaginar. Algumas vezes chega a ser impressionante, porque pessoas mais velhas do que eu ficam admiradas e me pedem pra fazer, mesmo sabendo que não sou a voz que eles conhecem de verdade. Os mais velhos cresceram ouvindo Mario Villela, Older Cazarré. Já as crianças que estão crescendo com a minha voz no desenho têm uma reação que me encanta. No geral as pessoas ficam eufóricas e me pedem pra fazer as falas. E, por enquanto, eu adoro. RS. Brincadeira, sempre terei prazer em fazer, pois esses personagens são parte da vida de todos, não são meus. As pessoas merecem que eu faça essas vozes pra elas pois a série só faz sucesso graças a essa admiração geral.


VINICIUS-CH: Qual episodio Você mais gosta de Chaves?
GUSTAVO BERRIEL: O aniversário do Seu Madruga, pela maneira doce e cômica que Chespirito consegue lidar com uma coisa tão difícil de aceitar, que as pessoas evitam até pensar: a morte.


VINICIUS-CH: Um sonho? 
GUSTAVO BERRIEL: Um mundo melhor, sem violência e sem armas de fogo.

VINICIUS-CH: O que você diz a quem quer ser um dublador ? 
GUSTAVO BERRIEL: Estude artes cênicas e persista!



VINICIUS-CH: Um recado para a Vila do Chaves e Chapolin.(nosso blog) 
GUSTAVO BERRIEL: Parabéns por preservar a memória de Chespirito e suas obras! Admiro todas as pessoas que trabalham nesse sentido. Além de bom gosto vocês têm boa iniciativa!



VINICIUS-CH: Bom a entrevista vai ficando por aqui, qual mensagem você gostaria de transmitir para todos os FÃS de toda a obra de chespirito.
GUSTAVO BERRIEL: Que sejam sempre jovens ainda, que confiem sempre em vocês mesmos e que Deus os abençoe sempre.

Gustavo Berriel


0 comentários:

Postar um comentário

 
Vila do Chaves e Chapolin © 2014 - Todos os direitos reservados
Site desenvolvido por Ideia Ninja Marketing Digital