000000
1 2 3 4 5 6

ENTREVISTA NA VILA


Entrevista com Nelson Machado


Dubla: Carlos Villagrán ( Quico )
Em: 1984 Chaves & Chapolin Clássicos Maga – TVS (SBT) –Diretor
2005 Box DVDs Chaves, Chapolin, Chespirito – Studio Gabia – DVDs Amazonas Filmes.




Nasceu em 14 de Janeiro de 1954. Sua voz sempre é reconhecida em filmes e seriados criou uma voz magnífica para o quico, rouca e cômica.
Em Chapolin Colorado deu voz aos memoráveis vilões de Chapolin como: Quase Nada, Chinesinho entre outros .Dirigia a dublagem de Chaves e Chapolin na Maga, além de traduzir e adaptar grandes partes do texto.
Em 1995 gravou o Disco ´´ Discoteca do Kiko`` Gravadora Paradoxx.
Em 1996 foi entrevistado por Jô Soares no mesmo dia em que Carlos Villagrán participou do programa ás 23:30, em 1996 . Foi então que Nelson ficou frente a frente com o ator que dublou por tantos anos.




VINICIUS-CH: Você sempre quis ser ator?Quando começou a dublar?E por que nunca parou?

NELSON MACHADO: Não. Já quis ser muitas oputras coisas na vida. De algumas desisti no meio do caminho, outras eu até fui. Já escrevi pra teatro, escrevi dois livros, roteiros pra cinema e pra programas de TV, novelas de rádio, já fui professor de matemática, hoje faço palestras e oficinas, enfim, ser ator é uma das minhas atividades, a principal, claro, mas não única.
Comecei a dublar quando tinha 14 anos. E parei sim. Dos 15 aos 20 eu convivi com a dublagem, trabalhando na área técnica, mas não dublava. Depois disso não parei mais porque não pararam mais de me chamar e, afinal, esse é meu meio de vida. Por que alguém pararia de fazer um trabalho do qual gosta e que garante o aluguel, a comida, a criação dos filhos?


VINICIUS-CH: Na época da dublagem, na sua opinião e pelo que sabe dos outros dubladores, o que vocês acharam dos programas Chaves e Chapolin? Acharam que iam dar certo no Brasil, gostavam?

NELSON MACHADO: É variável. No começo mesmo, achávamos o programa muito estranho. Com o tempo, fomos aprendendo a gostar e até a achar graça. Mas quanto ao sucesso que se tornou, ninguém naquela época tinha idéia de que isso aconteceria.


VINICIUS-CH: Quais outros personagens você fez fora o Quico foram mais marcantes para você?

NELSON MACHADO: Nossa, essa é uma resposta longa. Afinal, são 44 anos de trabalhos! Mas tem o Glomer, o Darkwing Duck, o Lucky Luke, o Alfred, o Bluster, o Jaken, o Fred Flintstone, o Escovão, o Zé Brasil, o Lero-Lero... Isso sem contar os atores que são dublados com voz normal, sem fazer tipo.


VINICIUS-CH: Trabalhou muito com teatro?

NELSON MACHADO: Trabalhei bastante, por muitos anos, com teatro tanto infantil quanto adulto. Como ator, como diretor e como autor.


VINICIUS-CH: Gosto muito dessa profissão de dublador. Gostaria de ser um dublador  ainda mais no meio CH o que você acha desse trabalho?

NELSON MACHADO: Depois de tanto tempo, a gente encara como um trabalho. É como você perguntar pra um bancário o que ele acha disso. Ele não acha nada. Ele vai lá, faz o trabalho da melhor maneira que sabe ou que pode, é remunerado por isso e vai viver sua vida. Assim é com todo trabalho. Claro, a dublagem é mais divertida do que um banco, tem a variedade de personagens que você pode fazer em um único dia, é um exercício fantástico pra qualquer ator, mas, no fim, é um trabalho.


VINICIUS-CH: Já chegou a brigar com alguem da equipe de dublagem?

NELSON MACHADO: “Equipe de dublagem” é um dublador no estúdio, um diretor e um técnico na técnica. Não tem como ter grandes encrencas. Às vezes acontece uma pequena discussão quanto a um texto certo ou errado ou quanto à maneira de dizer tal frase, mas não há espaço pra grandes brigas nessa “equipe”.


VINICIUS-CH: O que ele acha do evento América Celebra a Chespirito ?

NELSON MACHADO: Honestamente, não tenho uma opinião real formada porque não tenho conhecimento de detalhes desse evento. Claro que acho merecida qualquer homenagem ao criador do Chaves e de tantos outros personagens que agradam até os dias de hoje.


VINICIUS-CH: Hoje em dia você é um "fã" das séries ou as consiera apenas como um trabalho, algo profissional?

NELSON MACHADO: Gosto das séries, acho que é merecido todo esse sucesso, mas não sou um fã como vocês, do tipo que sabe tudo a respeito de tudo, que conhece a vida de cada elemento do elenco, que sabe os textos de cor, que é capaz de dizer o nome de cada episódio e o que acontece em cada um deles. Nem teria condições de ser assim, o próprio trabalho não permite isso, não é possível assistir a tudo o que a gente dubla todos os dias, portanto, vocês têm muito mais contato e conhecimento da série do que nós que a dublamos há 28 anos!


VINICIUS-CH: Você tem algum material raro da dublagem maga fotos roteiros e etc.. que guarda em coleção?

NELSON MACHADO: Não, infelizmente não tenho nada daquele tempo.


VINICIUS-CH: Quantos episódios do Chaves vocês dublaram? e do Chapolin?

NELSON MACHADO: Isso é difícil determinar. Acredito que mais de 350 foram feitos, somando as duas séries, mas não posso dizer com certeza.


VINICIUS-CH: Como costuma ser as reações das pessoas quando descobrem que você e dublador do Quico.

NELSON MACHADO: Sempre agradável, já que quase todo mundo gosta da série.


VINICIUS-CH: Oque você acha da pequena coincidência de serem capricornianos, e quase fazerem aniversário no mesmo dia? Você dia 14 de Janeiro e Carlos Villagrán dia 12.

NELSON MACHADO: Acho exatamente isso... Uma coincidência.



VINICIUS-CH: Existe chance de voltar a dublar o Quico em novas temporadas da Série Animada?

NELSON MACHADO: Essa é uma pergunta que só o SBT pode responder.



VINICIUS-CH: Qual episodio Você mais gosta de Chaves e de Chapolin?

NELSON MACHADO: Difícil dizer. Como eu disse, não tenho todos os episódios na cabeça. E, na verdade, acho que não há UM episódio do qual gostar. Cada um dos episódios tinha coisas comuns e coisas geniais. Posso até gostar dessa ou daquela cena, dessa ou daquela idéia, mas de um episódio inteiro é difícil.


VINICIUS-CH: O que você diz a quem quer ser um dublador ?

NELSON MACHADO: Hoje em dia, ajuda muito fazer um curso antes de se aventurar em estúdios. A pessoa chega ao estúdio mais preparada e com mais segurança na hora de um teste ou de um registro de voz.


VINICIUS-CH: Um recado para a Vila do Chaves e Chaolin.(o nosso blog).

NELSON MACHADO: Quero agradecer ao blog e ao Vinicius por mais essa oportunidade de contato com os fãs de Chaves, em particular, e da dublagem brasileira, no geral.


VINICIUS-CH: Bom a entrevista vai ficando por aqui, qual mensagem você gostaria de transmitir para todos os FÃS de todas as obras de chespirito.

NELSON MACHADO: Quero deixar um grande abraço aos fãs de todo o Brasil que sempre nos prestigiam em eventos, em palestras, em espetáculos dos quais alguns de nós participam e pelo apoio que sempre dão à dublagem brasileira como um todo. E, usando a frase de um grande música e poeta nordestino, Luis Vieira, “continuem nos querendo bem que não custa nada”!

VINICIUS-CH: Obrigado Nelson Machado por aceitar o nosso convite e compartilhar conosco toda sua história no meio CH.


VINICIUS-CH: Também gostaria de agradecer aos FÃS e Membros do Forum Único Chespirito por também colaborar com a entrevista.


0 comentários:

Postar um comentário

 
Vila do Chaves e Chapolin © 2014 - Todos os direitos reservados
Site desenvolvido por Ideia Ninja Marketing Digital